quarta-feira, 12 de junho de 2013

UMA CANÇÃO PARA O FIM DO MUNDO


Quando o segundo sol chegar
em detalhes
tão pequenos de nós dois,
don´t let me down:

deixe o verão pra mais tarde.

Eu sei, eu sei...

People are strange
- e a que será que se destina? -,

mas malandro que é malandro mesmo,
levanta, sacode a poeira
e dá a volta por cima!

Quando o segundo sol chegar
numa explosão atlântica
- like a virgin, peixe-de-vidro -
entre tapas e beijos
meu coração tropical vai fazer
tchú!

Vai fazer tchá!

Eu sei, eu sei...

Como se fora brincadeira
de roda
tem que morrer pra germinar.

- Cadê a flor que tava aqui?
(as rosas não falam...)

- E o peixe que é do mar?
(vida loka, nêgo...)

- E o verde, onde é que tá?
(I am the one
Orgasmatron!... )

É tchú...
(erguei as mãos...)

É tchá...
(vai descendo na
tela da TV no meio
desse p...

...are!

- Até quando você vai mandar

e mudar

e mandar

e mudar

e...

(- Com que roupa eu vou
quando o segundo Sol

chegar?)



(imagem do filme "Star Wars")

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DELARTE - OBRAS PUBLICADAS:

SENTIMENTO DO FIM DO MUNDO (poesia)

SENTIMENTO DO FIM DO MUNDO (poesia)
Clique nas imagens e adquira os livros pelo catálogo da Editora Patuá. Também podem ser encontrados nas Livrarias Cultura e Suburbano Convicto (SP).

CRAVOS DA NOITE (contos)

O Alien da Linha Azul (poesia)

O Alien da Linha Azul (poesia)
Aquisições com o autor ou no Bar & Livraria Patuscada